" Criei um aparelho para unir a humanidade, não para destruí-la. " - Santos Dumont

" Um prisioneiro de guerra é um homem que tentou matá-lo, não conseguiu e agora implora para que você não o mate. " - Winston Churchill
" Não sei como será a terceira guerra mundial, mas sei como será a quarta: com pedras e paus - Albert Einstein
" O objetivo da guerra não é morrer pelo seu país, mas fazer o inimigo morrer pelo dele - George S. Patton. "
" Só os mortos conhecem o fim da guerra " - Platão
"Em tempos de paz, os filhos sepultam os pais; em tempo de guerra, os pais sepultam os filhos." - Herodes

quinta-feira, 22 de março de 2012

Boeing KC-135 Stratotanker

Tipo: Avião de reabastecimento em voo e transporte
País de origem: Estados Unidos
Fabricante: Boeing
Primeiro voo: 31 agosto de 1956
Inicio do serviço: Junho de 1957
Retirado do serviço: versão E em 2009
Status: versão R ainda em uso
Primeiros usuários: Força Aérea Americana, França, Singapura e Turquia
Produção: 1954 a 1965
Total produzido: 803
Custo unitário: US$ 39.6 milhões
Desenvolvido a partir: Boeing 367-80
Variante: Boeing NC-135
Tripulação: 3 ( piloto, co-piloto e operador de reabastecimento, em missões é necessário um navegador)
Capacidade: 37 passageiros
Carga máxima: 37.600 kg
Comprimento: 41.53 m
Envergadura: 39.88 m
Altura: 12.70 m
Área das asas: 226 m²
Peso vazio: 44.663 kg
Peso carregado: 135.000 kg
Capacidade útil: 90.700 kg
Peso máximo de decolagem: 146.000 kg
Motores: 4 turbinas CFM International CFM56 (F108-CF-100) com 9.813 kg de empuxo cada 
Capacidade máxima de combustivel: 118.000 litros
Velocidade máxima: 933 km/h
Velocidade de cruzeiro: 852 km/h 
Alcance: 2.419 km com 68.039 kg de combustivel para transferência 
Alcance máximo: 17.766 km
Altitude: 15.200 m
Razão de subida: 1.490 m / min

   O Boeing KC-135 Stratotanker é uma aeronave militar de reabastecimento aéreo. Construido a partir de um Boeing 707, o protótipo foi chamado de Boeing 367-80. O KC-135 foi o primeiro avião a jato de reabastecimento e substituiu o Stratotanker KC-97. O Stratotanker foi inicialmente encarregado para reabastecer bombardeiros estratégicos, mas foi usado extensivamente na Guerra do Vietnã e os conflitos posteriores, como a Operação Tempestade do Deserto para ampliar o alcance e resistência das aeronaves norte-americanos e bombardeiros táticos.
   O KC-135 é usado pela Força Aérea Americana desde 1957, é uma de apenas seis aeronaves de asa fixa militar com mais de 50 anos de serviço contínuo com a sua operadora original. O KC-135 é suplementado pelo KC-10. Apesar dos custos de manutenção elevados, os estudos confirmam que muitos dos aviões podem ser utilizados até 2040, sendo substituído pelo Boeing KC-46Como seu irmão, o comercial avião a jato Boeing 707, o KC-135 foi derivado do jato de transporte Boeing 367-80. Como tal o KC-135 é similar na aparência com o 707, mas tem uma fuselagem mais estreita e é mais curto do que o 707. 
   Em 1954 o Comando Aéreo Estratégico da Força Aérea Americana realizou um concurso para um avião tanque de reabastecimento aéreo. A versão da Lockheed o L-193 foi declarado o vencedor em 1955. Mas a proposta da Boeing já estava voando, o KC-135 pode ser entregue dois anos antes e a Força Aérea Americana ordenou que 250 KC-135 fossem entregues, até a entrega dos aviões construídos pela Lockheed. No final, os pedidos para Lockheed nunca foram produzidos, enquanto a Boeing acabaria por dominar o mercado com seus aviões com base no 707. Em 1954 a Força Aérea colocou uma encomenda inicial de 29 KC-135A, a primeira de uma eventual de 820 aparelhos de todas as variantes. A aeronave voou pela primeira vez em agosto de 1956 e a produção inicial do Stratotanker foi entregue em junho de 1957. O último KC-135 foi entregue à Força Aérea em 1965.
   O modelo KC-135R teve o inicio de seu desenvolvimento em meados dos anos 50, a fuselagem é caracterizada por asas enflechadas e na cauda, quatro motores, um estabilizador horizontal montado sobre a fuselagem perto da parte inferior do estabilizador vertical com diedro positivo sobre os dois planos horizontais e uma antena de rádio frequência. Estas características básicas torná-lo fortemente semelhante ao Boeing 707 e 720 aeronaves comerciais, embora seja realmente um avião diferente. 
   O KC-135 foi inicialmente comprado para apoiar os bombardeiros do Comando Aéreo Estratégico, mas pelo final dos anos 60, no Sudeste da Ásia, a capacidade do KC-135 Stratotanker como um multiplicador de forças veio à tona. Reabastecendo aeronaves como os caças bombardeiros F-105 e F-4, bem como os bombardeiros B-52 estes puderam bombardear alvos distantes e permitiu aumentar o tempo de voo das missões de combate, ao invés de apenas alguns minutos, devido a limitação de reservas de combustível de cada aeronave. O KC-135 abastecia tanto a Força Aérea, Marinha e Fuzileiros, embora eles teriam que mudar a sonda e adaptadores, dependendo da missão. Os KC-135 também ajudaram a trazer aeronaves danificadas, devido a perca de combustível para o seu local de pouso, sendo usados em seu papel de apoio tático em conflitos posteriores, como Tempestade do Deserto e conflitos atuais.
   O Comando Aéreo Estratégico (SAC) teve o KC-135 Stratotanker em serviço aéreo regular com suas unidades de 1957 a 1992 e com a Guarda Nacional e Reserva da Força Aérea de 1975 a 1992. Após uma reorganização da Força Aérea Americana o SAC foi desativado em 1992, a maioria dos KC-135s foram reatribuídos ao recém-criado Comando de Mobilidade Aérea, ficando algumas aeronaves na Europa, no Pacífico, Alasca e Havaí.
   O Comando de Mobilidade Aérea possui mais de 481 Stratotankers, dos quais 292 ficam na reserva e apoiam a Guarda Nacional. O KC-135 é uma das aeronaves mais antigas em uso, após 50 anos de serviço continuo com a sua operadora original, junto com o Tupolev Tu-95, o Hércules C-130, o B-52 Stratofortress, o Electric Canberra e o Lockheed U-2.

Nenhum comentário:

Videos de aviões

Loading...