" Criei um aparelho para unir a humanidade, não para destruí-la. " - Santos Dumont

" Um prisioneiro de guerra é um homem que tentou matá-lo, não conseguiu e agora implora para que você não o mate. " - Winston Churchill
" Não sei como será a terceira guerra mundial, mas sei como será a quarta: com pedras e paus - Albert Einstein
" O objetivo da guerra não é morrer pelo seu país, mas fazer o inimigo morrer pelo dele - George S. Patton. "
" Só os mortos conhecem o fim da guerra " - Platão
"Em tempos de paz, os filhos sepultam os pais; em tempo de guerra, os pais sepultam os filhos." - Herodes

domingo, 5 de julho de 2009

International AMX / A1

Tipo: Caça bombardeiro
Fabricante: Embraer/Aeritalia/Aermacchi
Primeiro voo: 15 maio de 1984
Inicio do serviço: 1989
Status: Em serviço
Primeiros usuários: Brasil e Itália
Producão: 1986 a 1999
Total produzido: cerca de 200
Tripulação: 1
Comprimento: 13.23 m
Envergadura: 8.87 m
Altura: 4.55 m
Aréa das asas: 21 m²
Peso vazio: 6,730 kg
Peso carregado: 10,750 kg
Peso máximo de decolagem: 13,000 kg
Motor: 1 turbina Rolls-Royce Spey RB 168 MK 807 desenvolvendo 49,1 kN
Velocidade máxima: 1,160 km/h
Velocidade de cruzeiro: 950 km/h
Raio de alcance: 3,330 km
Altitude de serviço: 13,000 m
Razão de subida: 52 m/s
Armamento: 1 canhão rotativo de 20 mm M61 Vulcan (versão Italiana) e
2 canhões de 30 mm DEFA 544 (versão Brasileira), 2 misseis AIM-9 Sidewinders ou MAA-1 Piranha nas pontas das asas, 3,800 kg de bombas em 5 pontos externos, podendo transportar pods de reconhecimento, pods de iluminadores a laser, bombas guiadas a laser, misseis ar-terra e foguetes.


Chamado de Tornado de bolso, o AMX foi inicialmente projetado pela Aeritalia e Aermacchi afim de substituir os modelos G91 e F-104 na Força Aérea italiana, já o Brasil procurava um substituto para o AT-26 Xavante. Entre as exigências brasileiras estava o desenvolvimento de uma versão biplace o AMX-T. A missão primordial do A-1 é o reconhecimento e ataque a objetivos de superfície sobre ou por trás das linhas inimigas. Equipado com o que há de mais moderno em aviônicos, seus sistemas HUD e TV/IR facilitam a navegação e ataque em ambiente hostil. Capaz de carregar equipamentos de reconhecimento, sem abrir mão de qualquer armamento, o AMX possibilita ao seu piloto responder ao fogo inimigo durante uma missão de reconhecimento. Sua capacidade de decolar em apenas 850 metros permite que ele opere em pistas danificadas ou até mesmo de estradas. Pode ser reabastecido em vôo, o que lhe proporciona excelente raio de ação. Em 1999, na Guerra de Kosovo, os AMX italianos voaram 252 missões de combate em apoio a OTAN, sem nenhuma perda. Os aviões italianos usaram bombas “burras” Mk.82, bombas guiadas a laser GBU-16 e bombas Mk.82 modificadas com kits de guiagem israelenses Elbit Opher, que as transformaram em bombas guiadas por infra-vermelho, permitindo aos AMX engajar alvos motorizados. Os caças-bombardeiros italianos operaram em Kosovo, lançando suas bombas sobre alvos que tinham sido confirmados visualmente, evitando erros e fogo amigo. Os AMX foram seguidos muitas vezes por radares de sistemas de mísseis antiaéreos (SAM) SA-2 Guideline, SA-3 Goa e SA-6 Gainful, e outras vezes descobertos, mas não foi revelado quantos mísseis foram disparados contra eles. Embora muito criticado antes da guerra pelos pilotos italianos, em Kosovo o AMX foi elogiado até pelos americanos, que definiram o caça-bombardeiro como “eficiente, preciso e confiável”.O único ítem que deixou a desejar no avião foi o motor Rolls-Royce RB-168 Spey Mk.807, que produz muita fumaça e pouca potência. Várias perdas de AMX italianos aconteceram por causa de problemas com o motor. Diz-se que num combate aéreo, o AMX só pode fazer duas curvas de alto G para escapar de um interceptador. Depois disso, o avião perde toda sua energia e torna-se um alvo fácil. Cogitou-se remotorizar o AMX com a turbina Eurojet EJ200 sem pós-queimador, para melhorar a performance ar-ar e de decolagem do avião, mas o plano não foi adiante. No início de 2008, os AMX italianos foram modernizados pela segunda vez, por ordem judicial, por causa da investigação de um acidente ocorrido em 2005. Lá foram perdidos 12 AMX em acidentes, com a morte de 5 pilotos. A Itália vai modernizar 42 AMX monoplaces e 10 biplaces, afim de modernizar o sistema de navegação INS/GPS, NVG, um novo MFD, melhora no HUD, Mapa Digital, IFF e comunicações melhoradas.A Itália planeja substituir seus AMX pelo F-35, a partir de 2015.
AMX AMX NA ITÁLIA,BOMBAS AMX,FOTO 3,FOTO 4,FOTO 5

Nenhum comentário:

Videos de aviões

Loading...